Sal: Olavo Correia e Silva preside inauguração de mais duas unidades hoteleiras na ilha turística

O vice primeiro-ministro e ministro das Finanças, presidiu, hoje, no Sal, à inauguração de mais duas unidades hoteleiras, tendo também assistido à apresentação de outros projectos de empreendimentos turísticos a serem materializados na ilha, dentro de três anos.

Pertencentes ao grupo Halos, que tem como sócia a Turinvest Holding, do conhecido empresário Andrea Vita Finzi, Olavo Correia e Silva começou por parabenizar os investidores, realçando que os investimentos são sinal de confiança em Cabo Verde e um reflexo da parceria entre o público e o privado.

“A ilha do Sal, Cabo Verde, tem a marca do Turinvest. Portanto, em nome do Governo de Cabo Verde, penso que é merecido esse reconhecimento por tudo aquilo que vêm fazendo no país, nos domínios do turismo, da indústria, do comércio, mas também da restauração, dos transportes (…). Em quase todas as áreas, em muitas ilhas de Cabo Verde, a vossa marca está presente e merece todo o respeito, consideração e a nossa amizade”, enfatizou.

O governante, para quem a ilha do Sal é um “exemplo paradigmático” daquilo que os privados podem fazer no país, acredita que muito mais poderá ser feito, sendo, entretanto, “importante”, conforme disse, continuar a confiar em Cabo Verde.

“Temos um enorme futuro pela frente, Cabo Verde é um país com enormes potencialidades e oportunidades que devem ser devidamente aproveitadas. E nós temos que construir um espírito de parceria entre o privado e o público”, referiu, realçando que o público tem de ser um facilitador.

Neste contexto, destacando a importância do sector privado para o futuro do país, já que cria empregos, gera riquezas e faz avançar o país, Olavo Correia e Silva, também titular da pasta das Finanças, pondera, que cada acto administrativo para “bloquear” a iniciativa privada é um ato “contra” Cabo Verde.

“Porque o que está em causa é a construção de um país melhor”, considerou, apelando a todos aqueles que intervêm na esfera pública no sentido de serem facilitadores, a não complicarem, antes, elementos de suporte e de apoio ao setor privado.

“Então vamos continuar nesse espírito de parceria para que possamos facilitar o ambiente de negócio e para que os privados possam continuar a investir cada vez mais. Todos aqueles que investem em Cabo Verde são cabo-verdianos. O mais importante não é donde viemos, mas aquilo que fazemos por essas ilhas”, disse.

“E, quem corre riscos, é persistente, resiliente, investe, cria empregos, gera riquezas em Cabo Verde, para os cabo-verdianos, em todas as ilhas, é tão cabo-verdiano como eu. Por isso, merecem todo o nosso carinho”, concluiu.

As duas unidades hoteleiras, isto é, o Hotel Sobrado, à entrada de Santa Maria, com 55 quartos, e Halos Aparthotel, na Avenida dos Hotéis, com 105 apartamentos, garantem cerca de 120 postos de trabalho diretos.

Fazem parte ainda do amplo projeto turístico, que engloba o Hotel Halos, em construção, um parque aquático e respetivas residências e um Golf Park também com residências.
Fonte: InforPress

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos