Presidente cabo-verdiano procura apoios para alargamento da parceria com UE

O Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, inicia esta segunda-feira, em Bruxelas (Bélgica), uma série de contactos  no âmbito da formalização do pedido feito pelo seu país para o alargamento da Parceria Especial estabelecido com a União Europeia (UE), há cerca de 10 anos.

Esta segunda-feira, o ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, apresenta a proposta de alargamento da Parceria Especial no âmbito do qual Cabo Verde quer incluir novas áreas na cooperação com a Europa, nomeadamente o investimento e a criação de emprego, a gestão dos oceanos, a economia marítima e reformas institucionais.

Em declarações à imprensa antes de rumar para Bruxelas, sexta-feira última em busca de apoios a esta iniciativa, Jorge Carlos Fonseca explicou que vai tentar “cimentar essa pretensão de alargamento e aprofundamento da parceria, nomeadamente com a introdução de novos pilares”.

Jorge Carlos Fonseca mostrou-se otimista quanto à recetividade das instituições europeias às pretensões de Cabo Verde.

“Temos que ser otimistas sempre. É um trabalho que está a ser feito há algum tempo. Há conversações”, disse o chefe de Estado.

Também, o representante da UE em Cabo Verde, José Manuel Pinto Teixeira, disse-se sexta-feira última a jornalistas na cidade da Praia, "convencido de que o alargamento da parceria será uma realidade"

O programa do Presidente cabo-verdiano em Bruxelas começa por uma intervenção, esta segunda-feira, perante o comité de embaixadores do Grupo África Caraíbas e Pacífico, encontrando-se, de seguida, com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Jorge Carlos Fonseca será recebido terça-feira pelo Rei Philippe da Bélgica, devendo de seguida visitar o Parlamento Europeu onde se vai encontrar com o presidente do Parlamento Europeu, António Tajano, e com o Grupo dos Amigos de Cabo Verde.

No final do dia, o chefe de estado cabo-verdiano será recebido na Comissão Europeia pelo seu presidente, Jean Claude Juncker.

A Parceria Especial entre Cabo Verde e a União Europeia, única do género no continente africano, foi aprovada em novembro de 2007, institucionalizando um diálogo político regular entre as partes.

A parceria é regulada por seis pilares, nomeadamente a boa governação, segurança e estabilidade, integração regional, convergência técnica e normativa, sociedade da informação e do conhecimento, luta contra a pobreza e desenvolvimento.

A UE, que começou por apoiar Cabo Verde no âmbito da ajuda pública ao desenvolvimento, logo após a independência do país em 1975, tem sido um dos principais parceiros para que o país possa alcançar as suas metas políticas e estratégias de desenvolvimento.

O apoio da UE tem sido feito através do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED), cujo pacote de ajuda para 2016-2020 é de 50 milhões de euros.

Fonte: Panapress

Notícias

Porto Novo: Museu das Romarias pronto para receber visitas nas próximas festas de São João – ministro da Cultura

Parque Tecnológico derrapa 30% do custo inicial mas vai ajudar a transformar Cabo Verde num “país digital”, garante Governo

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras