Poluição do ar em Cabo Verde não constitui problema grave, mas o quadro existente exige precauções – DNA

A poluição do ar em Cabo Verde não constitui problema grave, mas o quadro existente exige precauções por forma a garantir que o ar que é respirado seja de boa qualidade, estando já várias medidas em curso

Essas considerações foram feitas pelo diretor nacional do Ambiente (DNA), Alexandre Nevsky Rodrigues em declarações à imprensa no âmbito da celebração de mais um Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho), que este ano é assinalado sob o lema “a poluição do ar”.

Alexandre Rodrigues afirma que em Cabo Verde ainda não existem os grandes poluidores como as grandes indústrias, mas afirma que o problema é mundial e também é uma preocupação em Cabo Verde.

“A poluição do ar é uma preocupação mundial. Os dados mais recentes indicam que nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído e a poluição é responsável por um em cada 9 mortes que acontecem a nível mundial. Isto significa que terá obrigatoriamente de ser uma preocupação de todos e também de Cabo Verde”, disse.

Segundo explicou, pela sua localização geográfica, Cabo Verde acaba por receber massas de ar de todos os continentes, constituindo também um risco a bruma seca que vem afetando o país com periodicidade mais longa e que acaba também por constituir motivos de preocupação.

Ademais, acrescentou que a frota automóvel está a aumentar dia após dia e as indústrias começam a desenvolver-se, criando um quadro para que as precauções necessárias sejam tomadas em matéria de monitorização do ar.

Neste sentido, Alexandre Nevsky Rodrigues adiantou que diversas medidas vêm sendo tomadas pelas autoridades tanto a nível macro com a nível micro e cita como exemplo macro o compromisso assumido pelo país de, até 2030, atingir 52% de penetração das energias renováveis.

“Nós sabemos que a nível mundial um dos poluidores tem a ver com a queima de combustíveis fósseis. Nós vamos reduzir para mais de metade o consumo e a queima dos combustíveis fósseis aqui no país através da penetração das energias renováveis”, explicou.

O diretor nacional do Ambiente falou ainda da chegada dos primeiros carros eléctricos e todas as medidas de incentivos para a importação desse tipo de viaturas visando a criação de frota dos carros não poluidores em Cabo Verde.

“São as medidas de políticas que estão a ser tomadas para que no futuro sejamos um país exemplo no que respeita à própria poluição e garantia da qualidade do ar”, disse fazendo alusão à campanha da reflorestação, das iniciativas das florestas urbanas e periurbanas, que na sua perspetiva vão melhorar a qualidade de vidas nas cidades cabo-verdianas.

A aposta do Governo nos próximos tempos será na criação de postos de monitorização da qualidade de ar por forma a reunir as condições para criar o índice de qualidade do ar em Cabo Verde e na posse de dados fazer o controlo necessário para garantir melhor qualidade de ar no país.

Uma primeira estação móvel encontra-se instalada na Escola Técnica de Achada Santo António na Cidade da Praia.

Aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano devido à poluição do ar, sendo 4 milhões das mortes somente na região da Ásia e do Pacífico.

O lema do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano incitará governos, indústria, comunidades e indivíduos a se unirem para explorar a energia renovável e as tecnologias verdes, bem como melhorar a qualidade do ar em cidades e regiões de todo o mundo.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos