“MEETUP TREKKING” São Nicolau: Descobrir a cultura e as vivências locais, caminhando

A ilha de São Nicolau acolhe entre 22 e 25 de Novembro, a primeira edição do “MEETUP TREKKING”. Os seus promotores, a Associação de Operadores Turísticos local e a Direcção Geral do Turismo, esperam 250 participantes, entre visitantes e residentes.

As caminhadas são cada vez mais procuradas por estrangeiros, sobretudo dos países nórdicos, mas também alemães e franceses e são o mote deste primeiro MEETUP TREKKING São Nicolau.

Arnaldo Felisberto, presidente da SN Turismo – Associação de Operadores Turísticos de São Nicolau – mostrou-se expectante ao A NAÇÃO, afirmando que o evento visa, entre outros objectivos, “colmatar a pouca divulgação” daquela ilha “como destino turístico”.

Este é, por isso, o primeiro evento da marca Walk It Saniclau, criada por aquela associação, precisamente para dinamizar o “potencial” das caminhadas e do trekking.

A marca tem como base projectar o futuro do turismo na ilha, através da valorização ambiental e cultural, e da utilização racional dos recursos enquanto destino sustentável, que apoia também a conservação do estilo e qualidade de vida da população.

Felisberto explica que a ideia é, com este primeiro MEETUP TREKKING, divulgar e promover o potencial de São Nicolau para o desenvolvimento do trekking enquanto produto turístico âncora da ilha.

“É uma oportunidade para experiências singulares através da prática da modalidade e para usufruir da cultura e do modo de vida das populações locais”.

Acessibilidades
Tendo em conta que os participantes internacionais organizam as suas viagens com um ano de antecedência, e o reduzido tempo de divulgação e promoção do evento, o nosso entrevistado revela que esta primeira edição será mais voltada para participantes nacionais, operadores turísticos de “incoming”, comunicação social e população local.

Felisberto não esconde, no entanto, a sua apreensão em relação à falta de acessibilidades para a ilha, o que pode vir a revelar-se um constrangimento, tendo em conta o número reduzido de voos para São Nicolau. 

“Precisamos encontrar uma forma de quebrar este ciclo vicioso – não ter voos por falta de passageiros, e não ter passageiros por falta de voos. Acreditamos que só estimulando o aumento da procura com eventos desta natureza, será possível criar condições para que no futuro este problema se venha a resolver”, defende.

250 participantes é a meta
Para já, a meta é alcançar 250 participantes entre visitantes e residentes.

“Serão maioritariamente nacionais e estrangeiros residentes em Cabo Verde”, revela. A associação espera assim que esta movimentação de pessoas na ilha venha a trazer mais valias para o turismo local, incluindo a nível do alojamento, transportes internos e restauração.

“A nossa expectativa é que o evento contribua para que São Nicolau venha a integrar os circuitos turísticos de trekking a nível internacional e, consequentemente, para o aumento do número de visitantes. Adicionalmente, esperamos com isso que a população local veja no turismo uma alternativa de criação de valor, geração de empregos e fixação da população, principalmente da camada jovem”, afirma.

Felisberto acredita ainda que este evento poderá servir como uma forma de sensibilizar os “actores públicos e privados” para a necessidade de maior investimento na valorização do destino e qualificação da oferta.

Natureza, gastronomia e música
O  programa de actividades dos quatro dias do encontro é vasto e será descentralizado aos dois municípios, Ribeira Brava e Tarrafal.

Além de caminhadas por trilhos que irão dar a conhecer a beleza da ilha, como o Parque Natural de Monte Gordo, o encontro prevê workshops e palestras de especialistas nacionais e estrangeiros sobre trekking e turismo, com enfoque na sustentabilidade ambiental e desenvolvimento local e desenvolvimento e promoção de produtos turísticos.

Aos debates junta-se ainda uma forte componente cultural, incluindo um “Bodje Rabeca” e degustação de produtos locais.

Segundo a organização, os participantes vão ter a possibilidade de poderem experimentar “ao vivo” a “fantástica” rede de trilhos pedestres da ilha, em particular da envolvente do Parque Natural de Monte Gordo, e manter contactos com as comunidades rurais ali existentes.

O programa encontra-se disponível na página oficial do Turismo de São Nicolau – https://www.facebook.com/Saniclau/ e cada inscrição, por pessoa, custa 500 escudos.

Além da Direcção Geral do Turismo, são ainda cofinanciadores do projecto as Câmaras Municipais da Ribeira Brava e do Tarrafal e a Cooperação Luxemburguesa.

Fonte: A Nação

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos