Fogo: José Gonçalves “toma pulso” dos desafios, projectos e obras financiados pelo Governo

O ministro do Turismo e Transportes e da Economia Marítima, José Gonçalves, inicia hoje uma visita de trabalho à ilha do Fogo para “tomar pulso” dos desafios, projetos e obras financiados pelo Governo.

O titular da pasta do Turismo e Transporte e da Economia Marítima, que se faz acompanhar do secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, vai estar nos três municípios da ilha para inteirar dos desafios existentes e deslocações a vários projetos e obras financiado pelo Governo, através do Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo (FSST).

Deverá, igualmente, manter encontros de trabalho com operadores turísticos, do setor da pesca e visitar as estruturas e empreendimentos ligados às áreas sob a sua superintendência.

A visita inicia-se pelo município de Santa Catarina do Fogo, mais concretamente pela localidade de Chã das Caldeiras, onde José Gonçalves tem agendado uma conversa aberta com os operadores turísticos, deslocando-se depois à cidade de Cova Figueira.

Aqui deve visitar as suites/quartos construídos pelo FSST, as obras de miradouro de Maria da  Cruz, a estrada e a orla marítima de praia Casinha e Fajã, o sítio onde se vai construir o segundo miradouro no Alto Espigão, projetos e obras financiados pelo Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo, inteirando assim da situação das obras.

O concurso para seleção de empresas para executar a obra de reabilitação da estrada que liga a cidade de Cova Figueira a Casinha, no litoral, passando por Maria da Cruz e Domingos Lobo, financiado Fundo de Sustentabilidade Social do Turismo, está em curso e termina na próxima sexta-feira, 24 de Maio.

No município de São Filipe, José Gonçalves e a delegação que o acompanha vai auscultar as principais preocupações dos agentes turísticos numa conversa aberta com os operadores do setor, visita as instalações da Associação de Solidariedade e Desenvolvimento (ASDE), onde será apresentado o projeto de pescadores das ilhas do Fogo e Brava, e assinatura de um protocolo de cooperação entre a Direção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM) e ASDE.

Um encontro com os operadores da pesca, nomeadamente pescadores, vendedeiras de pescado e associações, visita ao cais de pesca no porto de Vale dos Cavaleiros e a unidade de produção de Gelo, a estância balnear de Salinas, devendo igualmente participar na apresentação do projeto ecoturismo em curso naquela estância balnear.

O projeto “Ecoturismo na piscina natural de Salinas” consiste na requalificação dos acessos e da envolvência do espaço de beleza natural dessa piscina marítima, um centro multiuso e abrigo para a recolha de botes dos pescadores e está orçado em 476.666 Euros (52.400 contos cabo-verdianos) e financiado em 75% pela União Europeia.

Ainda no município de São Filipe, o ministro do Turismo e Transporte e da Economia Marítima e os diversos dirigentes e técnicos dos setores de Turismo, Transportes, Pescas e Economia Marítima, visitam a adega Maria Chaves, participando na apresentação do projeto Rotas do Fogo, assim como um encontro com associação dos taxistas.

No município dos Mosteiros, o último a receber a visita do governante, está programada a assinatura do contrato programa entre a Direcção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM) e a câmara municipal, no âmbito do projecto “Impacto município dos Mosteiros”, visita a orla marítima de Beco e lançamento da primeira pedra do projeto “requalificação da orla marítima, e arrastadouro de praia Lantcha”.

Uma deslocação ao sítio de intervenção do projeto impacto do Município dos Mosteiros, desenvolvimento da fileira pescado e Praia Lantcha, visita a algumas localidades a norte e sul com passagem pela zona de Fajãzinha, Baía do Corvo onde se pretende construir do cais de pesca, Achada Grande com passagem pela cooperativa de vinho e zonas altas do município, além de encontros com operadores turísticos e pescadores e vendedeiras de pescados fazem ainda parte do programa da visita do governante.

O projeto de requalificação da orla marítima de Beco prevê a sua transformação numa piscina natural, com clube náutico e área para as atividades náuticas, assim como a área circundante que passa a ter espaço cultural e de lazer mais atrativa e agradável e enquadra-se num projeto maior que prevê a expansão da requalificação da orla marítima da cidade de Igreja até Queimada Guincho, cujo orçamentado poderá atingir os 100 mil contos.

O projeto, elaborado pela WT Engenharia, prevê, de entre outras, a construção de um anfiteatro a céu aberto com capacidade para 250 lugares, na parte central, e com uma configuração oval, reabilitação da rampa da antiga delegação aduaneira, a edificação de um mirante e de um quiosque-bar com vista para o mar, além da requalificação da piscina natural de Beco.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos