Condições de vida de famílias cabo-verdianas melhoram em Cabo Verde, diz estudo

Famílias cabo-verdianas registaram uma evolução positiva nas suas vidas entre 2014 e 2015, designadamente a nível das condições de habitabilidade e do acesso aos serviços básicos, soube a PANA de fonte oficial.

Esta revelação consta de dados do Inquérito sobre Condições de Vida dos Agregados Familiares 2015, divulgado, segunda-feira, na cidade da Praia, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Inquérito Multi-Objectivos (IMC) de 2015, que procedeu à recolha de informações no quarto trimestre de 2015 e contemplou um total de nove mil e 918 famílias, concluiu também que, nos últimos cinco anos, houve uma evolução nas condições de vida dos agregados familiares em Cabo Verde em termos de aumento do acesso à água, à eletricidade, ao saneamento, aos meios de informação e comunicação, bem como de bens de equipamento e conforto.

No entanto, o IMC alerta que, apesar das melhorias, subsiste ainda uma grande desigualdade entre os meios rurais e urbanos, apontando, como exemplo, concelhos que ficam aquém da média nacional, casos de São Lourenço dos Órgãos, Ribeira Grande de Santiago e São Domingos, todos situados no interior da ilha d Santiago, a maior e a mais populosa do arquipélago cabo-verdiano.

Outro dado significativo apurado pelo IMC 2015 refere que os Cabo-verdianos continuam a utilizar a lenha em detrimento do gás e que, em cinco anos, o consumo da lenha baixou apenas de 25% para 23%, sendo que o peso é maior no meio rural, sobretudo no interior de Santiago e da ilha do Fogo

No que se refere às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), o IMC 2015 apurou, como novidade, que 58% da população cabo-verdiana tem acesso à Internet em casa e que 65% possui telemóveis.

“O IMC mostra que 37% da população de 10 anos ou mais utiliza o computador e a Internet, com maior incidência entre jovens dos 15 aos 24 anos e que 19% das crianças dos 10 aos 14 anos têm telemóveis.

Fonte: Panapress

Notícias

SCM congratula Cabo Verde pela consagração da morna

Morna já é oficialmente Património Mundial