Cidade Velha celebra segunda-feira 8º aniversário da elevação a Património Mundial da Humanidade

O dia 26 de Junho – esta segunda-feira - marca o 8º aniversário da classificação da Cidade Velha como Património Mundial da Humanidade, numa decisão da UNESCO, de 2009, órgão ONU que cuida da educação e da cultura. A abertura da cerimónia começa, pelas 9 horas, no Largo de Pelourinho, num acto a ser presidido pelo ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente

Um comunicado do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas indica que o reconhecimento da importância histórica do Berço da Nação cabo-verdiana pela UNESCO tem contribuído para “uma maior visibilidade deste Sítio e “maior conscientização” sobre a necessidade de salvaguardar o legado existente em benefício” das gerações presentes e futuras.

Para assinalar a data, o Governo, a Comissão Nacional da Unesco (CNU), a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, a Paróquia de Cidade Velha e as associações comunitárias Sphaera Mundi, Batucadeiras e “Nos Eransa” organizam um conjunto de actividades direccionado para a comunidade estudantil, universitária e comunidades.

Diz a mesma fonte que, a realização de palestras no liceu e na Universidade de Cabo Verde sob tema “O 8º Aniversário da Classificação da Cidade Velha – os desafios da sua gestão” e “Cidade Velha e seus monumentos”, são algumas das atividades constantes no programa de comemoração. Do programa constam também a apresentação e projecção de um filme sobre a Tabanka, enquanto Património Imaterial, feira e degustação de produtos tradicionais, uma visita com os alunos do município subordinada ao tema “Cidade Velha: Estórias e memórias, Tesouros Humanos Vivos”.

Mais do que uma visita tradicional, centrada na história da Cidade Velha e seus monumentos, o comunicado explicita que a iniciativa pretende envolver e valorizar as vivências dos portadores de memória da Cidade Velha, evidenciando as lembranças menos conhecidas do sítio, enquanto espaço dessas vivências.

A fazer fé na mesma agência, a exposição sobre “Fomes em Cabo Verde: Causas e efeitos – 1580-1949”, exposição de Livros sobre Cidade Velha, Animação Cultural CMRGS Largo do Pelourinho são ainda entre outras actividades programadas para assinalar a efeméride.

Esta data constitui uma “importante ocasião” para as autoridades centrais e locais, os educadores e os alunos reflectirem sobre os principais problemas deste património da humanidade, visando encontrar as melhores soluções. Conforme vários escritos retomados pelos órgãos da imprensa, a Cidade Velha de Santiago é o berço da cabo-verdianidade. É também a toponímia do que foi a antiga Cidade da Ribeira Grande, que foi capital do arquipélago de Cabo Verde durante alguns séculos.

Foi a primeira Cidade que os portugueses tiveram em África, na sua aventura dos descobrimentos. Daí ser uma referência obrigatória no contexto histórico das ilhas de Cabo Verde. É na Cidade Velha de Santiago, recorde-se, que nasceu o homem crioulo. Foi o ponto de encontro dos primeiros europeus e negros da costa de África trazidos para o povoamento dessas ilhas.

Fonte: A Semana

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos