Cabo Verde escolhido para receber projeto da FAO

O projeto “Integrar a nutrição nas leis e regulamentos de comércio nacionais e regionais nos países SIDS e promover as cadeias de valor dos alimentos locais com vista ao comércio entre os países SIDS” tem como foco reduzir o nível de desnutrição

Cabo Verde foi escolhido para receber o projeto “Integrar a nutrição nas leis e regulamentos de comércio nacionais e regionais nos países SIDS e promover as cadeias de valor dos alimentos locais com vista ao comércio entre os países SIDS”, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO.

De acordo com uma nota de imprensa chegada à nossa redação, este projeto será implementado nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento (PEID) no Oceano Atlântico (Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe) e no Oceano Índico (Comores, Maurícias e Seychelles) de janeiro de 2019 a dezembro de 2020.

Neste contexto, esteve em Cabo Verde, de 19 a 25 de maio, o especialista em nutrição e qualidade no comércio de produtos alimentares do Escritório Regional de África (RAF) da FAO, Komivi Sodoke, que reuniu-se com os principais parceiros para uma missão exploratória sobre os objetivos e resultados esperados, bem como a preparação dos próximos passos a desenvolver.

Entre os parceiros destacan-se o Ministério da Saúde, da Agricultura, do Comércio, das Finanças, Organização Mundial da Saúde (OMS), Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), Associação de Defesa do Consumidor (ADECO), Câmara de Comércio de Sotavento, entre outros.

O próximo passo inclui o recrutamento de um consultor nacional, a indicação do ponto focal de cada parceiro, a constituição de uma task-force e a realização de um atelier de lançamento a ter lugar num dos três países do Atlântico que beneficiam do projeto e a definição de um plano nacional de implementação.

De realçar que este projeto surgiu no contexto desses países sofrerem do “triplo fardo” da desnutrição, subnutrição, deficiência de micronutrientes e obesidade que coexistem na população devido aos ambientes naturais frágeis causados pelas alterações climáticas, ao isolamento económico, e também porque dependem em larga escala de mercados remotos para satisfazer as suas necessidades alimentares.

Reduzir o nível de desnutrição, principalmente a obesidade, melhorar o comércio intra-PEID de alimentos nutritivos e reduzir a importação e distribuição de produtos alimentícios não saudáveis, são os principais objetivos deste projeto.

Fonte: A Nação

Notícias

Uni-CV promove debate sobre oportunidades de negócios no âmbito da Economia Azul, turismo e energia

As razões da queda do turismo cabo-verdiano

Sal recebe 37% dos recursos do Fundo do Turismo - PM