CMP socializa projecto de requalificação do Centro Histórico do Plateau no valor de 187 mil contos

A Câmara Municipal da Praia (CMP) vai investir, em 2018, cerca de 187 mil contos na requalificação do Centro Histórico Cidade, Plateau, projecto que foi socializado hoje com os moradores do bairro.

Em declarações à imprensa, antes da apresentação do projecto, o presidente da CMP, Óscar Santos, esclareceu que a edilidade já tem disponível 135 mil contos, esperando a comparticipação do Hospital Agostinho Neto e das instituições financeiras sediadas no Plateau.

“Em toda parte do mundo, instituições com as suas instalações numa cidade comparticipam para o seu desenvolvimento, porque todos vão sair a ganhar”, explicou Óscar Santos.

Por isso, informou que se trata de uma segunda ronda de socialização, uma vez que na semana passada a edilidade apresentou este projecto de requalificação às principais instituições financeiras para sensibilizá-las a comparticiparem “neste grande empreendimento que vai requalificar totalmente o centro histórico de Plateau”.

“Essas intervenções estão enquadradas no projecto de requalificação urbana e de desenvolvimento da Cidade da Praia que a autarquia tem em curso e visa reafirmar o Plateau como o centro histórico da cidade, tornando-a mais atractiva e aberta ao turismo”.

Óscar Santos adiantou que essa requalificação vai consistir na construção de uma pedonal de Diogo Gomes até ao Ténis, asfaltagens, reposição de calçadas em algumas vias, pedonal na Rua Serpa Pinto, a requalificação da rua do Hospital Agostinho Neto, assim como reestruturação de toda a Zona de Ponta Belém.

Fonte: InforPress

Notícias

Novo hospital da Praia é um complemento aos hospitais de Cabo Verde e não vai substituir o HAN – PCA

Câmara Municipal do Sal apresenta plataforma “inovador” GEO Sal

FMI aprova Instrumento de Coordenação de Políticas que vai permitir Cabo Verde acelerar o crescimento económico

Projecto Tartaruga promove capacitação em conceitos e práticas de patrulha do ambiente natural

Fogo: Master plan de turismo das ilhas do Fogo e da Brava identifica duas dezenas de projetos prioritários